19 Dec 2016

A rastreabilidade é um processo que vem ganhando relevância no agronegócio ao proporcionar que produtores de sementes tenham maior controle sobre as etapas de produção, garantindo qualidade e reduzindo custos, e que os agricultores adquiram os insumos com maior confiabilidade. Para contribuir com este cenário, a O Agro (www.oagro.com.br), startup que desenvolve softwares para o setor, lança o Sementes Rastreadas. A solução registra dados detalhados para controlar toda a cadeia produtiva, dos campos de produção, passando pela UBS (Unidade de Beneficiamento de Sementes), até a comercialização.
 
Nos campos, os responsáveis técnicos das empresas produtoras de sementes registram informações detalhadas sobre o manejo direto no aplicativo, registrando aplicações de produtos e vistorias técnicas com índices e fotos. Na UBS, a ferramenta aperfeiçoa o controle da recepção das cargas, do estoque, das transferências e da criação de lotes de beneficiamento e embalo. “A organização, que hoje é realizada através de planilhas, passa a ser bem mais rápida, simples e completa, gerando economia de tempo e mão de obra”, comenta Alexandre Gazolla, engenheiro agrônomo e fundador da O Agro. 
 
O relatório de todas as informações rastreadas fica disponível no site da empresa produtora de semente e pode ser acessado pelo agricultor por meio de um código de barras 2D localizado no rótulo de cada embalagem. Na página, o usuário encontra todos os dados detalhados da cultura, a localização e extensão do campo de produção, resultados de qualidade do lote de sementes, entre outros.
 
“Possuir um histórico de germinação e vigor são as informações mais essenciais ao agricultor, que tem a segurança de que o produto que está comprando terá um ótimo desempenho no campo”, aponta Gazolla. Outro benefício para quem compra um lote com rastreabilidade é a calculadora de plantabilidade, que recomenda quando e em que proporção as sementes devem ser distribuídas no campo.
 
Além do Brasil, a empresa possui clientes no Uruguai, Paraguai e já começou a prospecção na Argentina. Seu crescimento médio é de 60% ao ano, com uma produção rastreada entre 3,5 a 4 milhões de sacas de sementes. A meta para 2017 é dobrar esse número, assim como o de clientes, lançar um app exclusivo para a UBS e investir em outros segmentos do agronegócio.
 
“Rastreabilidade significa agregar valor à semente do produtor e conferir credibilidade a seu trabalho. Do outro lado, o agricultor tem, mais do que um histórico, informações essenciais para o planejamento e alocação de recurso durante a semeadura. Essa técnica deve evoluir muito nos próximos anos no Brasil e no mundo”, conclui Gazolla, doutor em sementes.

Fonte: Assessoria de Comunicação O Agro