02 Feb 2017

A secagem é um procedimento com implicações diretas no bem-estar animal. Pesquisas indicam que a garantia da qualidade de vida tem reflexos positivos no manejo e desempenho das vacas leiteiras.

A secagem é o início da lactação seguinte. Ela marca o começo do período seco, a partir da última ordenha. O procedimento ocorre cerca de 60 dias antes da data prevista de parição e garante um importante período de descanso para as vacas leiteiras.

Porém, muitos produtores realizam o procedimento reduzindo a produção de leite de forma gradual, restringindo o acesso do animal à água e comida, o que causa estresse. Essa prática, também gera aumento da pressão dentro do úbere e provoca dor intensa e desconforto no animal. Além disso, o vazamento de leite decorrente desse aumento de pressão após a parada das ordenhas deixa as vacas mais suscetíveis a infecções.

Desenvolvido pela Ceva Saúde Animal, Velactis, o primeiro e único facilitador de secagem do mundo, garante para as vacas uma série de vantagens como aumento do período de descanso e diminuição da dor pós secagem, saúde do úbere prevenindo novas mastites, saúde do bezerro no ventre – que não sente o estresse da mãe, além de receber quantidade de alimentação e de água adequada.

Ao ser aplicado após a última ordenha, Velactis inibe a prolactina, o que causa rápida diminuição na produção de leite e facilita todo o manejo e processo de secagem. “Velactis age no cérebro alterando a secreção hormonal. É como se o cérebro da vaca recebesse a mensagem de que ela não será mais ordenhada, diminuindo, assim, o sofrimento do animal, que está acostumado a passar por esse processo todos os dias”, explica o Gerente de Marketing Unidade de Ruminantes da Ceva Brasil, Rudsen Pimenta.

O produto também auxilia na diminuiçãodos casos de infecções intramamárias, as temidas mastites, pois reduz o vazamento de leite. “Durante a secagem sem Velactis, a prolactina continua sendo produzida por algum tempo e o leite se acumula no úbere, provocando aumento da pressão e vazamento do líquido. É nesse momento que existe grande chance de infecções”, finaliza Rudsen.

Fonte: Assessoria de Comunicação Ceva