08 Dec 2016

Áreas de instabilidade podem ser observadas nessa manhã de quinta-feira sobre grande parte da região central e norte do Brasil. Com isso, há previsões para chuvas em grande parte dos Estados de Rondônia, Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais e no Matopiba e Pará. Contudo, essas chuvas que estão sendo previstas e que já estão ocorrendo continuarão sendo apenas na forma de pancadas irregulares. E esse talvez seja o grande problema dessa safra. Esse padrão no regime de chuvas tem beneficiados um e desfavorecido outros, uma vez que já existem áreas em toda a região do cerrado brasileiro que estão a mais de 15 dias sem receber um só goto de chuva, enquanto áreas vizinhas recebem chuvas regularmente. 

Não dá para falar que as quebras que eventualmente são relatadas terão impactos significativos na produção nacional de grãos, mas é fato que quebras regionalizadas estarão ocorrendo ao longo de toda essa safra. Já que esse padrão meteorológico se manterá inalterado durante as próximas semanas. Pois, não há nenhum indicativo de que venham ocorrer longos períodos de estiagem em todo um Estado, apenas como já vem ocorrendo, as chuvas em toda a Sudeste, Centro-oeste, Norte e no Matopiba continuarão com boa frequência, mas sempre ocorrendo de forma de pancadas irregulares. 

No Sul, a formação de 2 áreas de instabilidade, sendo uma na altura do Paraguai e outra entre a Argentina e Uruguai irão provocar chuvas em boa parte da região Sul, incluindo o sul do Mato Grosso do Sul. Porém, serão chuvas rápidas e em alguns locais com bons volumes. Entretanto, como não serão observadas chuvas em todas as regiões produtoras, haverá locais que ainda continuarão apresentando baixos níveis de umidade, mantendo uma condição desfavorável ao desenvolvimento das lavouras. Já há perdas em lavouras de soja e milho da região. Sendo que em algumas microrregiões os percentuais de quebras já superam os 20%. 

E como os volumes de chuvas no Rio Grande do Sul deverão ser os menores da região e, sobretudo, os mais irregulares, o Estado gaúcho deverá ser o que mais apresentará sinais de perdas em suas lavouras nessas próximas semanas. Principalmente em lavouras de milho 1ª safra. 

Fonte: Clima News