16 Sep 2016

O preço do suíno vivo pago pelos abatedouros chineses em 2016 teve um aumento constante de 17 Rmb/kg para uma alta de 20 Rmb/kg em junho, veja gráfico abaixo *. Em agosto, o preço caiu ligeiramente para 18 Rmb/kg (2.71USD),o que leva este comentarista a concluir que isso é o resultado das altas temperaturas, reduzindo a demanda por carne de suína  combinada com um número maior de animais sendo abatidos. Neste calor extremo, 'Outono do Tigre' como é conhecido na China, os agricultores, em sua maior parte, são incapazes de controlar as temperaturas dos galpões e preferem vender seus animais.

A 18Rmb/kg  (2.71USD), produtores chineses  ainda estão fazendo muito dinheiro,  planos de expansão, pagamentos de empréstimos  e planejando o futuro.

Um suíno está  trazendo 800Rmb de lucro para grandes empresas e 1200Rmb  para produtores em pequena escala. A diferença está nos custos das estruturas de terminação. Empresas como a Wen´s que não tem sua estrutura própria de terminação são as beneficiadas.

No passado se tinha a ideia de que  terminar seus próprios suínos seria uma vantagem na redução dos custos com fazendeiros contratados, mantendo os próprios sistemas de  qualidades e gerenciamento interno.

No entanto, essas mesmas empresas agora veem que as vantagens deste tipo de negócio, não superam as desvantagens. Querer possuir e operar suas próprias instalações de terminação é um modelo que demanda um capital  intensivo e quando você quer crescer rapidamente não consegue pois sua produção é lenta.

Dinheiro, espaço e especialmente recursos humanos são todos  necessários para  expansão, mais na terminação do que na reprodução. E embora haja esperança  que os elevados preços atuais  permaneçam nos próximos  6 a 18 meses, no final quem poderá prever ? E se você pode aumentar mais rapidamente sua produção de carne, obtendo mais profissionais  contratados você tem uma chance muito maior de beneficiar-se dos preços elevados atuais,  mas  se os preços baixos vierem em seguida, reduzindo a quantidade de animais terminados você não terá gastos recursos com  alocação de espaços de terminação própria.

A maioria dos produtores com quem temos falado está planejando construir unidades para fêmeas apenas e irão fazer contrato com  produtores para terminação. No entanto um dos maiores produtores está contemplando um sistema  'Russo' estilo fechado com 'Farrow to Finish' ( do nascimento a terminação) com base na crença de que eficiência em escala maximizará a redução de custos, mas nos parece que as fêmeas e os suínos comerciais serão produzidos separadamente no estilo 'norte-americano'.

A maior parte do investimento está focado em rebanhos de fêmeas muito saudáveis, em um local remoto e com biossegurança, depois são transportados os terminados para fazendas familiares próximas de  produção de grãos e mercados.

Curiosamente, ouvimos também que o custo da construção de um espaço para fêmeas é muito semelhante aos custos da América do Norte (custos de terra não levado em conta a instalação).Se considerar que alguns produtores chineses utilizam grãos para ração de origem norte-americana, isso leva a crer que os custos de produção são também muito similares.

Com o dinheiro da carne suína fluindo e produtores planejando produzir mais, porém  pagando os empréstimos dos “anos magros”e  dificuldade em  encontrar terras com com maior  bio segurança, não temos notícia novas fazendas sendo construídas ainda. Mas certamente em breve teremos...

Finalmente, pela primeira vez na China ouvi vários produtores de carne suina falar sobre branding( divulgação de marca). Jim Long, Presidente de Genesus mencionou o potencial de marcas no passado e essa ideia parece estar  se infiltrado na China. Quem esteve lá irá dizer a você, o poder das 'marcas' é forte aqui. Carne suína pode ser um produto considerado básico, mas aqueles que criarem uma carne suína com “marca” irão colher enormes benefícios.

Para este comentarista, os preços altos da carne suína são resultado da baixa oferta, portanto, qualquer um pode vender sua carne suína a um preço premium. O governo esta mesmo aberto para importar carne e  tentar frenar os  preços crescentes na China. No entanto, quando o fornecimento atender a demanda os preços não só cairão, mas também a concorrência entre o que muitos consumidores chineses consideram produtos de melhor qualidade -  a carne importada do Canadá-  verá seu mercado local aquecer.

Shuanghui o dono da Smithfield tem uma campanha publicitária local agressiva anunciando seus produtos “Importados da America.”

Se olharmos para o mercado de leite chinês, vemos que devido a baixa confiança no leite produzido localmente a demanda por produtos lácteos importados é forte, apesar de serem  mais caros do que os produtos equivalentes. O leite em pó importado baseia-se na maior parte em seu status de importado tendo sua 'marca' e isto implica em uma melhor segurança alimentar do que a  produção doméstica.

Como a oferta de carne suína  local aumenta, há o risco de que os consumidores chineses que estão acostumados a comprar carne importada, continuem a fazê-lo, especialmente se os preços de importação permanecem estáveis e equiparados as marcas locais Premium. 

Atualmente, esse preço Premium é dado a toda carne suína doméstica, devido à baixa oferta, mas no futuro vai ser a  marca que fará com que ela tenha  um posicionamento  Premium.

Estou ansioso em ver qual dos grandes produtores, os únicos que podem pagar um grande orçamento de marketing, terão sucesso em sua construção de uma  marca forte  em todo o país.

Talvez aqueles que já construíram suas marcas a partir de outros produtos de sucesso irão ser bem sucedidos ou quem sabe aqueles que contratem uma empresa de marketing dirigida  para seus produtos sairão vencedores?

De novo ficara a pergunta: o que vem antes, o  ovo ou a galinha ?

 

 

 

Fonte: Suinocultura Industrial