23 Aug 2016

Os empresários sul-mato-grossenses vão ter ao menos R$ 5,635 bilhões disponíveis entre 2017 e 2010 do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO). O valor médio anual – R$ 1,408 bilhão - representa incremento de 17,3% em relação ao que será disponibilizado para este ano, que é R$ 1,2 bilhão. De acordo com o Ministério da Integração Nacional, os estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e o Distrito Federal terão R$ 28,9 bilhões nos próximos quatro anos do FCO e Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FDCO), sendo que R$ 24,5 bilhões são do FCO e R$ 4,4 bilhões do FDCO.A programação financeira dos fundos para 2017 a 2020 é de R$ 28,9 bilhões.

Deste total, R$ 7,03 bilhões estão destinados para 2017, R$ 7,17 bilhões para 2018, R$ 7,29 bilhões para 2019 e R$ 7,41 bilhões para 2020.Pela regra histórica, que destina 23% do total do FCO para Mato Grosso do Sul, no período os pequenos, médios e grandes investidores dos setores rural, industrial, de turismo, comércio e serviços sul-mato-grossenses terão R$ 5,635 bilhões, um aumento anual de 17,3% em relação ao total a ser liberado este ano. O valor médio por ano vai subir de R$ 1,2 bilhão para R$ 1,408 bilhão entre 2017 e 20120.De acordo com a pasta, no caso dos recursos do FCO “há uma previsão, historicamente adotada para a região, de que 23% dos recursos disponíveis para aplicação serão contratadas no Estado”, sendo que “essa previsão é passível de revisão (para mais ou para menos) no decorrer do exercício, em função da demanda por crédito observada”.

O total de recursos para o Estado pode ser até maior, mas vai depender dos projetos apresentados e também do aproveitamento dos recursos do FCDO, já que este fundo não define um percentual de distribuição dos recursos.

Fonte: Correio do Estado