21 Jul 2016

A estratégia de investimento social da Fibria, líder mundial na produção de celulose de eucalipto, é baseada em um processo estruturado de relacionamento e engajamento com as comunidades vizinhas às suas operações, com o objetivo de promover desenvolvimento e geração de renda. Para fortalecer a economia local, os hortifrútis produzidos pelos agricultores familiares que participam do Programa de Desenvolvimento Rural e Territorial (PDRT) são adquiridos pelo restaurante industrial do Projeto Horizonte 2 - construção de uma segunda linha de produção de celulose na unidade da Fibria em Três Lagoas (MS) -, para a preparação das refeições dos trabalhadores.

A comunidade do Assentamento 20 de Março em Três Lagoas, por exemplo, fornece cerca de 2 mil quilos de alimentos mensais para o restaurante do Projeto Horizonte 2, entre abóbora, cebolinha, coentro, salsa, couve manteiga, alface, almeirão, pimenta malagueta, berinjela, rúcula e chicória. Todos os alimentos são frutos do cultivo agroecológico, ou seja, sem a adição de agrotóxicos. Uma iniciativa da Fibria para oferecer mais qualidade de vida e nutrição aos trabalhadores da obra.

O assentamento faz parte do Programa de Desenvolvimento Rural Territorial - PDRT, iniciativa da Fibria que promove o desenvolvimento local por meio do fortalecimento das associações comunitárias, focando no apoio às cadeias produtivas por meio da capacitação das comunidades. Entre as atividades do programa estão o cultivo do urucum, mandioca, abóbora, hortaliças, legumes e a melhoria do manejo da pecuária leiteira.

A produção mensal da comunidade 20 de Março é de 15,5 toneladas de hortaliças. A comercialização é realizada na Feira Livre e para restaurantes de Três Lagoas e, ainda, aos programas de fornecimento de alimentos para escolas públicas, como o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA).

Atualmente, somando todas as associações, o PDRT beneficia 842 famílias, que residem nas localidades de Três Lagoas, Brasilândia (MS) e Selvíria (MS). Desde o início do programa, há cinco anos, a renda média dos agricultores familiares que participam do programa apresentou melhora de 80%.

Fonte: Performa