23 Aug 2016

Mato Grosso possui hoje 250 técnicos para atender a agricultura familiar e necessita de outros 400 para poder conseguir uma parcela dos pequenos produtores. Um possível retorno do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), previsto para setembro, pode “auxiliar” aos Estados, que hoje bancam 90% da assistência técnica pública.O MDA foi cortado durante a reforma ministerial em maio quando Michel Temer assumiu a Presidência interinamente e há cerca de duas semanas teve sua recriação anunciada para setembro. Entretanto, segundo informações do jornal O Globo, a pasta, que hoje encontra-se subordinada à Casa Civil, pode ser fundida ao Ministério do Desenvolvimento Social.

A volta do Ministério do Desenvolvimento Agrário, conforme o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Pública de Mato Grosso (Sinterp-MT), Gilmar Brunetto, significaria o reconhecimento da agricultura familiar por parte do Governo Federal.Hoje, no Brasil são 5 milhões de agricultores familiares, dos quais cerca de 100 mil estão localizados em Mato Grosso."A assistência técnica é bancada 90% pelos governos estaduais. A extensão rural gera emprego e o Governo Federal precisa enxergar isso. Em Mato Grosso, precisamos urgentemente de 400 profissionais para atender a agricultura familiar. Hoje, são apenas 250", comentou Brunetto ao Agro Olhar.Segundo o presidente do Sinterp-MT, mesmo que esses 400 profissionais necessários sejam contratados o atendimento ainda será de uma parcela dos produtores. "Estamos concluindo um planejamento estratégico para que a assistência chegue ao produtor e atendê-lo de forma coletiva, por meio de unidades demonstrativas, através de uma parceria entre profissionais e produtores. A tecnologia precisa chegar ao produtor".Ajuda em Brasília No último dia 16 de agosto, representantes da Federação Nacional dos Trabalhadores da Assistência Técnica, Extensão Rural e do Setor Agrícola (Faser) reuniram-se com o senador de Mato Grosso José Medeiros.

O encontro, realizado em Brasília (DF), segundo Brunetto, que é coordenador de relações institucionais da Faser, teve como objetivo levar o debate sobre a agricultura familiar e extensão rural para o Senado. Ele comenta que o senador José Medeiros destacou que levará o assunto ao Senado por meio de audiência pública.Caso o MDA seja recriado, o deputado federal José Silva, de Minas Gerais, é um dos cotados para assumir a pasta. “O José Silva conhece do assunto. Ele é a pessoa mais indicada. Ele é ex-presidente da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater) e quando elegeu-se deputado levou a questão para a Câmara Federal. E, agora vamos levar a agricultura familiar para o Senado com o senador José Medeiros”, salientou Gilmar Brunetto.

 

Fonte: AgroOlhar