10 Oct 2016

Impulsionados principalmente pela baixa oferta, os valores da raiz de mandioca tiveram novas altas na última semana, subindo em todas as regiões acompanhadas pelo Cepea. A média a prazo para a tonelada de mandioca posta fecularia foi de R$ 505,13 (R$ 0,8785 por grama de amido na balança hidrostática de 5 kg), a maior, em termos reais (valores deflacionados pelo IGP-DI de set/16), desde janeiro de 2014. Em relação à semana anterior, o aumento foi de 15,3% e, frente ao mesmo período do ano passado, de 240,6%, também em termos reais.

Segundo pesquisadores do Cepea, o ritmo de colheita da mandioca de segundo ciclo tem diminuído a cada semana, sendo que, em algumas regiões, as atividades já foram encerradas. Os poucos produtores ainda com área para ser colhida continuam postergando a comercialização. Além disso, em algumas localidades, os trabalhos foram interrompidos por conta da falta de chuvas. A demanda por raiz, por sua vez, segue firme, tanto por parte de fecularias como de farinheiras, que buscam formar algum estoque para os próximos meses. Diante da baixa disponibilidade, porém, algumas empresas não conseguiram receber matéria-prima na semana passada. Assim, a quantidade de mandioca processada pela indústria de fécula diminuiu 47% em relação ao período anterior.

Fonte: Cepea/Esalq