Mudar região - quarta-feira, 3 de setembro de 2014
Postado em: 13/03/2012 04:00:00
Fonte: José Luiz Alves Neto / Rural Centro
Editoria: Pecuária

Inovação permite confinamento de até 70 bois com cocho de 4,2m

Inovação permite confinamento de até 70 bois com cocho de 4,2m

Leia também: CONFINAR 2014 - Simpósio sobre confnamento de gado de corte

Você acredita ser possível confinar até 70 animais em uma área de 10 metros de largura por 120 de comprimento? E alimentá-los sete por vez em um cocho de 4,2 metros? Você pode até franzir a testa e estranhar, mas este é o sistema utilizado na Agropecuária Piravevê, de Adélio Crippa. Para dar continuidade à série de reportagens sobre o Confinar 2012 - Simpósio Sul-mato-grossense de Confinamento de Gado (www.confinar.net), a Rural Centro viajou até a fazenda localizada em Angélica, interior do Mato Grosso do Sul. 

Saiba mais

Conheça a Fazenda Piravevê no anuário Reproduzir 2012-13

O pecuarista, italiano, trabalhava no ramo de pesquisa para indústria no país europeu e teve a concepção da ideia quando chegou ao Mato Grosso do Sul. “Eu trabalho somente com razão. Nos meus negócios não tem lado emocional”, explica Crippa. Atualmente, a propriedade realiza o ciclo completo (cria, recria e engorda) da raça brangus e, de acordo com as condições climáticas - pois as chuvas podem atrapalhar o confinamento - termina em média três ciclos de 500 animais anualmente (1500 animais confinados/ano). "Quando eu comecei a estudar confinamento, eu percebi duas coisas: o animal sempre joga muita comida fora e também deixa muita sobra", argumenta o proprietário.

Confinamento na Fazenda Piravevê: 7 cm de cocho por animal – não, não é erro de digitação!

A estrutura construída e usada para confinar o gado da Fazenda Piravevê é algo raro de se ver no Brasil. O pecuarista italiano, que trabalhava no setor de pesquisa industrial na Europa, trouxe alguns ensinamentos para as terras tropicais e inovou sua terminação de novilhos precoces e superprecoces da raça brangus. São oito piquetes, quatro de cada lado de uma passarela elevada a cerca de 1,7 m dos cochos, por onde passa a carreta com silagem de sorgo misturada com concentrado de farelo de soja e milho. Cada piquete tem 10 m de largura e comprimento que varia entre 100 e 120 m, comportando em média 60 animais. O cocho, de 4,2m de largura com sete vagas de 60 cm é o que mais chama a atenção: por causa do revezamento, a média de espaço por animal é de 7 cm. Veja abaixo as características dessa estrutura:

- Sendo a passarela elevada em relação ao cocho, não há possibilidade do animal jogar a comida para fora, evitando desperdício;

- Como a estrutura é compacta (7 cm/animal) e o custo menor, o pecuarista investiu em construir coberturas para os cochos, ou seja, a chuva não prejudica a qualidade da silagem, permitindo ao animal alimentar-se sem interrupção;

- A telha da cobertura tem no centro seu ponto mais alto, fazendo assim com que a água escoe pelas canaletas para os lados do cocho e não caia sobre a traseira do animal;

- Dois metros atrás do cocho, uma tora paralela a ele fica suspensa a uma altura pouco maior que a dos animais e evita que haja sodomia;

- Compondo a parte frente do cocho, uma borracha flexível (dessas que ficam atrás de pneus de caminhão), evita o desperdício de alimento pelo fato de impedir que a comida caia do cocho pela parte da frente. Dessa maneira, o animal, no ato de alcançar a comida, empurra a borracha e o alimento estocado cai para o fundo do cocho;

- Acima dessa borracha, uma viga sustenta caibros cilíndricos, que dividem o espaçamento do cocho em forma de canzil. Assim, sempre há espaço lateral entre um animal e outro que come. Deste modo, o animal que quiser comer entra neste espaço, cutuca aquele que está comendo ao lado e toma o seu lugar, fazendo assim um revezamento. A prova que não tem restrição alimentar é o consumo médio por dia: de 2,8% a 3% do peso vivo do animal de MS/dia;

- Em volta dos oito piquetes, um bosque de eucaliptos fornece sombra e protege a área de confinamento dos ventos e chuvas fortes;

- Os tratos diários alimentares são três: 7h30, 12h e 15h, este último servindo três carretas de silagem (cocho cheio). Desta forma, sempre há alimento disponível (ad libitum) para que não haja interrupção na oferta de comida, nem durante a noite.

 

O confinamento permite à fazenda terminar , com 18 arrobas aos 18 meses. “Meu produto não atende ao pecuarista (eu), atende quem compra, que é o frigorífico”, diz Adélio Crippa. O capataz geral da Agropecuária Piravevê, Joaquim Antônio Pires, afirma que a estrutura facilita o trato e não esquenta a silagem, que permanece saudável por mais tempo e não é desperdiçada. “Em mais de 50 anos trabalhando com boi, eu nunca tinha visto uma estrutura dessas”, completa o boiadeiro. Veja, abaixo, fotografias que detalham a estrutura:


Fotos de confinamento (veja em detalhes como é a estrutura)
 
Confinamento em Angélica-MS, Fazenda Agropecuária Piravevê
 
Cobertura do cocho para confinamento
 
Cocho para confinamento
 
Detalhes do cocho para confinamento da Agropecuária Piravevê Visão lateral do cocho para confinamento na Fazenda Piravevê, Angélica-MS. Piquete do Confinamento Agropecuária Piravevê em Angélica-MS



Sobre o Confinar 2012

Confinar 2012Confinar 2012 é uma realização de Beef Tec e Rural Centro e conta com o apoio de Assocon (Associação Nacional dos Confinadores), Novilho Precoce MS (Associação Sul-mato-grossense do Produtores de Novilho Precoce), Seprotur (Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo de Mato Grosso do Sul), Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul), SRB (Sociedade Rural Brasileira), SRCG-MS (Sindicato Rural de Campo Grande-MS) e Fundtur MS (Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul).

Serviço
Confinar 2012 - Simpósio Sul-mato-grossense de Confinamento de Gado
8 e 9 de Junho em Campo Grande-MS
Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo
Programação e Inscrições: www.confinar.net

Informações para imprensa
- Telefones: (67) 3326 4004 ou (67) 9616 2976
- E-mail: jornalismo@ruralcentro.com.br
- Cadastro de imprensa para a cobertura do Confinar 2012

Crédito das imagens: La Fuente

     
 
COMENTÁRIOS
14
EMILSON ANTONIO VIEIRA
EMILSON ANTONIO VIEIRA 
ÒTIMO APROVEITAMENTO.
TENHO INTERESSE EM CONFINAR 20 A 40 CABEÇAS , SOMENTO C/RAÇÃO E MILHO.
QUAL O ESPAÇO,TIPO DE GADO , QUAL MEDICAMENTO NO PERIODO.
OU INDICAR ONDE ME INFORMAR
OBRIGADO
EMILSON
segunda-feira, 25 de agosto de 2014  Responder
Eduardo J B R
Eduardo J B R 
Pretendo confinar 40 bois de 10@ só com silagem de sorgo , ou o sorgo moido na hora. è possível ter susesso deste maneira? Implantarei no sertão alagoano com irrigação.
quinta-feira, 24 de julho de 2014  Responder
Junior Gentilin
Junior Gentilin 
O procedimento é interessante, reduz custo e aumenta a produtividade. Uma duvida, nesse caso onde o espaço é "disputado" não teria desiquilíbrio nos pesos entres os animais? Por que sempre tem um animal mais predominante que o outro.
sábado, 21 de junho de 2014  Responder
Nadiele Fernandes
Nadiele Fernandes 
Bom dia !! Gostaria de saber se é possivel cultivar pimenta do reino na região de Bom Jesus do Tocantins- PA, pois a região é muito umida e quente.
Tenho grande interece em cultiva-la.
Grata.
terça-feira, 18 de fevereiro de 2014  Responder
Welber Junio Evangelista Pereira
Welber Junio Evangelista Pereira 
Quantos gados posso começar para que não me dê prejuízo?
É preciso necessariamente que estejam em confinamento em local com pasto?
Quantos meses posso confinar um gado para o abate, depois que compro ele magro?
sexta-feira, 24 de janeiro de 2014  Responder
giovanni farias costa
giovanni farias costa 
caso uma pessoa que não tenha conhecimento tecnico queira começar a ivestir em gado confinado, quais seriam os passos? onde essaa pessoa conseguiria informações e apoio necessários?
quinta-feira, 19 de dezembro de 2013  Responder
Edgar Sperb Justus
Edgar Sperb Justus 
Oi Giovanni,
Existem empresas especializadas e modelos de negócios para confinamentos. Não sei em que região você está, mas uma consultoria que conheço aqui do MS e que trabalha com confinamentos é a Beeftec e acredito que poderão ajudá-los http://beeftec.com.br/
quinta-feira, 23 de janeiro de 2014 
Marco Aurelio Schaumloeffel
Marco Aurelio Schaumloeffel 
carne boa é a de boi que fica livre no campo! Confinamento é uma desgraça para a qualidade da carne, mais gordura, menos qualidade.
terça-feira, 1 de outubro de 2013  Responder
Zelo Neto
Zelo Neto 
Marco, já conversei com especialistas no assunto que afirmam que não se trata de o confinamento deixar a carne melhor ou não. Acontece que, no Brasil, fomos acostumados há muito tempo com a carne a pasto, por isso estranhamos o sabor do confinamento, diferentemente do que acontece nos EUA. Eu sou assim também, não gosto de sentir o gosto do confinamento, embora no Brasil dificilmente saibamos quais são as reais causas do gosto ruim na carne, tem vários motivos. Conheço projetos de carne com valor agregado no MS, SP, PR e RS em que todos usam confinamento, mas só na hora de terminar, dois ou três meses antes do abate. De forma geral, é o que acontece no Brasil, ou seja, não é um sistema de produção, mas uma ferramenta que ajuda a terminar o gado e acelerar seu ciclo. Feito de forma adequada, não aufere aquele gosto ruim. Tem muitas notícias sobre o tema na nossa versão eletrônica do anuário Reproduzir caso queira se aprofundar. O link é http://reproduzir.ruralcentro.uol.com.br/. Obrigado pela participação.
quarta-feira, 9 de outubro de 2013 
claudia cristina martins
claudia cristina martins 
A TECNOLOGIA É REALMENTE SENSACIONAL. FIQUEI MUITO IMPRESSIONADA COM ESSE JEITO DE CONFINAR, UM APROVEITAMENTO EXCEPCIONAL. MUITÍSSIMO BEM APROVEITADO, E UMA ÓTIMA IDÉIA PRA QUEM QUER SEGUIR O MODELO. COMO SABER MAIS DETALHES?
terça-feira, 24 de setembro de 2013  Responder
Zelo Neto
Zelo Neto 
Olá, Claudia. Na reportagem acima, há um link em destaque escrito "Saiba mais: Conheça a Fazenda Piravevê no anuário Reproduzir 2012-13". Basta clicar e ver mais detalhes da propriedade.
terça-feira, 24 de setembro de 2013 
claudia cristina martins
claudia cristina martins 
A TECNOLOGIA É REALMENTE SENSACIONAL. FIQUEI MUITO IMPRESSIONADA COM ESSE JEITO DE CONFINAR, UM APROVEITAMENTO EXCEPCIONAL. MUITÍSSIMO BEM APROVEITADO, E UMA ÓTIMA IDÉIA PRA QUEM QUER SEGUIR O MODELO. COMO SABER MAIS DETALHES?
terça-feira, 24 de setembro de 2013  Responder
wanderson J. Lara   Menacho
wanderson J. Lara Menacho 
Que tipo de ração ou é mais recomendada para o confinamento..
segunda-feira, 23 de setembro de 2013  Responder
Social
RC Mercado
RC Mercado
Siga-nos
Facebook
Orkut
Twitter
 
 
 
© 2012 - Rural Centro - Todos os Direitos Reservados. r1.1.5246.22724
x

Veja mais notícias