09 Jan 2017

O frango vivo negociado no interior paulista completou a primeira semana de 2017 (seis dias de negócios) registrando o mesmo comportamento e a mesma fragilidade de um ano atrás. 

A única diferença é que em janeiro de 2016 a primeira queda de preços só ocorreu no segundo dia de negócios do ano (5), sendo sucedida por outras duas quedas consecutivas. Em 2017, o mercado já abriu em queda (dia 2), registrando a seguir três novas reduções consecutivas.

Com isso, mesmo encerrando a semana com valores muito próximos dos registrados há um ano, completa o período com um valor médio quase 4% inferior ao do mesmo período de 2016. O que, considerada uma inflação superior a 6%, significa preço real em torno de 10% menor. 

A expectativa, agora, é a de que se volte a observar, doravante, a mesma estabilidade que prevaleceu durante boa parte de janeiro de 2016. Mas que, infelizmente – é triste, porém necessário lembrar -, não se manteve no terceiro decêndio daquele mês.

De toda forma, é oportuno destacar que essa ocorrência não representa o caos, podendo ser considerada rotineira no setor. Tanto que, há pelo menos sete anos (desde 2010), janeiro é encerrado com valor menor que o do início do ano. E, neste caso, as quedas entre as duas pontas têm variado desde 3% até 24%.

O lamentável, aqui, é que 2017 está sendo iniciado com valores nominais ou reais inferiores aos de exercícios anteriores.

Fonte: Avisite