09 Aug 2016

A consolidação dos dados de embarques de carne suína in natura da primeira semana de agosto explica bem o aquecimento do mercado do animal vivo numa época do mês que tradicionalmente não é a melhor em termos de venda no varejo. Em apenas cinco dias foram exportadas 19,6 mil toneladas de carne suína, quase metade do volume de todo o mês de agosto do ano passado, quando o Brasil vendeu 42,1 mil toneladas do produto para o exterior, conforme indicam os números divulgados hoje pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MICS). Os embarques mensais em 2016 já são recordes, mas a média diária nunca ultrapassou as 2,8 mil toneladas diárias e nessa primeira semana do mês ficaram em 3,9 mil toneladas diárias, contra 2,5 mil toneladas diárias de julho e 2,0 mil toneladas diárias em agosto de 2015.

A média diária muito provavelmente vai cair, mas facilmente o volume exportado neste mês vais superar a média mensal do primeiro semestre do ano. O bom momento do mercado internacional é fundamental para sustentação do preço do animal vivo num momento tão delicado para economia brasileira. Depois de um mês de julho com mercado praticamente parado, agosto dá sinais de que o preço pago aos produtores poderá ser bem melhor. Na semana passada o preço mínimo de referência da bolsa paulista fechou em R$ 3,89 na segunda-feira (01) mas já na quarta-feira foram divulgadas vendas acima de R$ 4,20. Na bolsa mineira, que operou sem acordo durante boa parte do mês de julho, o preço acertado entre as partes ficou em R$ 4,10 na semana passada. Tanto São Paulo quanto Belo Horizonte devem refletir hoje esse bom momento do mercado.

Fonte: Blog do Coser