03 Nov 2011

O pescado da piscicultura comercial desempenha função de regulador de preços em Mato Grosso durante a piracema, período em que a pesca é proibida, pois os peixes sobem os rios até suas nascentes para desovar.

Quem lucra com a situação é o consumidor, já que o peixe pode ser vendido a preço justo durante todo o ano. “Não há interferência no consumo pela falta de captura e o valor do pescado não sobe na época da piracema como acontecia há alguns anos”, diz o consultor Francisco de Medeiros.

De acordo com o senso do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA), em 2009, Mato Grosso teve 4 mil toneladas de peixes pescados, enquanto na aquicultura o volume produzido foi de 32 mil toneladas. A projeção é que, em 2011, a produção fique em torno de 37 a 40 mil toneladas.

Fonte: Globo Rural