10 Nov 2009

O Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) e o Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) proibiram ontem, através da Instrução Normativa (IN) nº 41, de 8 de outubro de 2009, a utilização de alimentos feitos com subprodutos de origem animal, como cama de frango, na criação de ruminantes, como bovinos, bubalinos, caprinos e ovinos.

Em entrevista à Rádio JM, o presidente do Sindicato Rural de Uberaba Rivaldo Machado Borges, contou que a medida é lei e visa preservar de doenças causadas pela ingestão deste produto. “Os pecuaristas de Minas Gerais que alimentam o gado com subprodutos de aves e suínos, caso insistam nessa prática, vão sentir a consequência no próprio bolso, os animais podem ser sacrificados e os proprietários não terão nenhuma indenização’, explicou o presidente.

A medida foi adotada após a comprovação de que o uso da cama de frango causava doenças como a vaca louca, que começou na Europa e trouxe vários prejuízos para o setor pecuário do Continente. “Não temos conhecimento desta doença no Brasil, mas já tivemos o botulismo. Então, o Ministério preferiu prevenir antes que o alimento comece a desenvolver algum tipo de doenças nas pessoas”, contou.

Questionado sobre como ficará os produtores de cama de frango, Rivaldo disse que o produto poderá ser usado para adubação de pastagens. “Estes produtos podem ser utilizados de maneira geral como adubo na agricultura, mas em nenhuma hipótese devem ser incluídos na alimentação dos ruminantes”, concluiu.
 

Fonte: Jornal da Manhã