Cálculo de volume de madeira

21 Feb 2014

Você conhece as medidas volumétricas utilizadas para a exploração de madeira? O que significam metro cúbico (m³), metro estéreo (st) e metro de carvão (mdc)? Quantos balancins, mourões ou esteios rende cada m³ de madeira?

Antes de mostrar a tabela de conversão, vamos ver o que significa cada medida volumétrica:

Metro estéreo (st): trata-se de uma pilha de madeira com 1 metro de comprimento, 1 de largura e 1 de altura com espaços vazios entre as peças, ou seja, elas não se encaixam precisamente.

Metro cúbico (m³): madeira empilhada nos mesmo moldes (1 m de largura x 1 m de comprimento x 1 m de altura) sem espaços vazios, onde as peças (tábuas, dormentes, vigas, etc) se encaixam com perfeição.

Metro de carvão (mdc): quantia de carvão que preenche o volume de 1 m³.

Assim, a conversão de árvores nativas em produtos é, em média, a seguinte:

 

Balancins

Lascas ou postes

Esticadores ou firmes

Mourões ou palanques

Esteio

Dormentes

1 m³ de árvore nativa rende...

900

58

13

4

1,7

14,2

Veja na tabela quantas árvores nativas são necessárias para preencher os volumes listados abaixo:

  1 st em formato de lenha 1 m³ em formato de tora 1 m³ em formato de lenha 1 m³ em formato de dormentes 1 mdc
Árvores nativas necessárias 6 8 9 10 12

Relacionando os quadros acima é possível perceber, por exemplo, que 10 árvores nativas formam um metro cúbico em formato de dormentes e que cada metro cúbico rende até 14 dormentes. Ou seja, 10 árvores nativas rendem 14 dormentes.

Conversão de m³ para st
- Cada 1 m³ de madeira nativa em formato de lenha corresponde a 1,5 st;
- Cada 1 m³ de eucalipto em formato de lenha corresponde a 1,2 st.

+ Dificuldade em calcular o volume de madeira pode trazer perdas na comercialização

+ Código Florestal poderá incluir reserva legal em regiões de lavrado

+ Recuperação de pastagens no MT: governo diminui burocracia

+ Segmento florestal discute importância de modificações na Pauta da Madeira

Fontes: Imasul e IEF/MG. Foto: Reprodução / Creci/PB

Fonte: Rural Centro