12 Dec 2016

Os preços da soja no mercado futuro da Bolsa de Chicago fecharam a sexta-feira com boa reação, avançando até 11 pontos sobre o dia anterior. Na semana, o saldo líquido também foi positivo, com o contrato de janeiro ganhando 10 pontos e o de maio (referencial para a nova safra sul-americana) avançando até 12 pontos sobre o fim da semana anterior. O spread entre janeiro e maio ficou em 19 pontos em favor de maio (era de 17 uma semana antes). 

O fechamento em alta no dia é significativo, pois ocorreu mesmo com o relatório mensal do USDA tendo mantido inalterada sua projeção dos estoques finais nos EUA, contrariando a expectativa do mercado que era de um corte. O USDA inclusive aumentou sua projeção no caso dos estoques mundiais. A persistência de uma demanda aquecida, no entanto, com novas vendas significativas anunciadas no mesmo dia, e ainda as incertezas sobre a nova safra sul-americana, que por enquanto está apenas no papel, foram fatores que operaram na contramão e garantiram o suporte que permitiu o avanço final dos preços em Chicago. 

No Brasil, o mercado de câmbio encerrou as negociações da sexta-feira com o dólar em queda de 0,3%, cotado a R$ 3,373 na venda. O saldo líquido da semana foi também de desvalorização, de 2,9%. 

No mercado físico interno de soja, os preços mostraram altos e baixos na sexta-feira. Na semana, o saldo líquido foi de estabilidade, com o referencial do porto de Paranaguá mostrando o grão cotado a R$ 80,00 por saca na sexta (era também de R$ 80,00 uma semana antes). 

Fonte: SojaNews