13 Jul 2016

Com expectativas de preços ainda maiores para o arroz em casca nos próximos meses, compradores vêm antecipando as aquisições do produto. A baixa oferta combinada à demanda aquecida continuam sendo os principais fatores altistas. Segundo pesquisadores do Cepea, na primeira semana de julho, a presença de indústrias de outros estados do Sudeste e Centro-Oeste do País elevou a concorrência no Rio Grande do Sul. De 5 a 12 de julho, o Indicador ESALQ/SENAR-SR subiu 0,47%, fechando a R$ 50,46/sc de 50 kg no dia 12 – ainda em patamar nominal recorde. Algumas indústrias do Rio Grande do Sul seguem priorizando o recebimento e/ou processamento de lotes adquiridos anteriormente, se mostrando mais cautelosas em reajustar os preços do arroz “livre” (armazenado nas propriedades rurais).

Com isso, deram preferência para compras do arroz depositado em seus armazéns. Do lado vendedor, orizicultores disponibilizaram seus lotes conforme a necessidade de “fazer caixa” para cumprimento de dívidas de safra, inclusive os de pré-custeios. Produtores mais capitalizados, porém, permaneceram recuados, aguardando novas altas para negociar.

Fonte: Cepea