12 Sep 2017

Pela quarta vez na história do setor, as exportações brasileiras de carne de frango superaram a marca das 400 mil toneladas mensais, alcançando o terceiro maior volume de todos os tempos. 

Em agosto, os embarques do produto - abrangendo cortes de frango, frango inteiro, industrializados de frango e carne de frango salgada – somaram 407,6 mil toneladas, superando em 8,5% o exportado no mês anterior e em mais de 14% o registrado em agosto de 2016. Acima desse resultado só as 412,7 mil toneladas de abril de 2016 e as mais de 440 mil toneladas de julho de 2015.

Igualmente significativo foi o aumento na receita cambial, que somou US$678,7 milhões. Ela aumentou cerca de 12% de julho para agosto e 12,57% em relação a agosto do ano passado.

Completados dois terços do ano, o volume acumulado segue negativo, mas em índices cada vez menores, pois os 2,863 milhões de toneladas até agora exportados estão apenas 2,66% abaixo do registrado no mesmo período de 2016. Contra, por exemplo, uma variação negativa de quase 7% no fechamento do primeiro semestre.

Por sinal, mantida no quadrimestre final do ano a média atual, o total exportado em 2017, em torno de 4,3 milhões de toneladas, ficará muito próximo do registrado em 2016 (4,309 milhões de toneladas). Porém, repetindo-se a média do segundo quadrimestre do ano – 372,7 mil toneladas/mês entre maio e agosto – o total anual superará os 4,350 milhões de toneladas, constituindo-se em novo recorde do setor.

Já a receita cambial, seguidos os mesmos parâmetros, pode se aproximar dos US$7,3 bilhões, valor que representa aumento em torno de 8% sobre 2016, mas que continua aquém do alcançado no quadriênio 2011/2014, período em que a receita cambial da carne de frango variou de um mínimo de US$7,3 bilhões a mais de US$8,2 bilhões. 

Fonte: Avisite