Churrasco sujo na tradução literal do termo, não tem nada a ver com comida suja ou cozimento sujo, mas com a simplicidade do preparo. Ao invés de usar grelhas, faz-se os alimentos diretamente sobre a brasa do carvão.

Dirty Steak é um método de cozimento usado por vários chefes. A técnica surgiu em meados de 1960, nos Estados Unidos. Cozidos diretamente no topo da brilhante brasa do carvão vegetal, as carnes emergem com uma crosta crocante carbonizadas e um interior meio-raro róseo. Em vez de usar uma grade de ferro fundido, o bife é apenas cozido diretamente sobre as brasas, dando à parte suja, o nome desta receita.

Aparentemente, você imagina um desastre gastronômico e um desperdício de um bom bife, mas o que realmente acontece é, assim que o bife toca carvão vegetal quente, este cauteriza a carne e remove qualquer oxigênio entre a carne e a madeira. O bife começa a liberar umidade, e o calor  cozinha a carne por completo, o que significa que obter uma excelente crosta em sua carne.

O resultado é chamado bife de caveman steak (homem das cavernas), bife sujo (dirty steak) ou Eisenhower steak (bife Eisenhower).

Crédito: PlateOnline 

A coisa mais importante do método é a utilização de um carvão vegetal de qualidade, sem produtos químicos adicionados. Você não precisa de churrasqueira, apenas de carvão e ambiente arejado. É nessas horas que os admiradores de um bom churrasco criam seus próprios ambientes, como um carrinho de compras de metal com  alguns tijolos e carvão para a criação da “churrasqueira”. Agora, se você optar por fazer na própria churrasqueira, inutilize a grelha.

A espessura afeta os tempos de cozimento, por exemplo, para um bife grosso médio é indicado 3 minutos de cada lado para um acabamento da carne. A prática leva à perfeição, portanto, faça o teste para alcançar a sua preferência.

Crédito: Country Wood Smoke 

A grande sacada é ter um suporte para que o carvão se mantenha suspenso formando uma cama para a carne a ser preparada. A maioria das pessoas temem que a carne queime muito rápido, mas, quando a carne fica muito próxima de alcançar altas temperaturas, as brasas irão queimar, e o fato da carne estar diretamente em contato com o carvão faz com que eles não recebam oxigênio o suficiente para criar um incêndio. Por isso a indicação é cozinhar exclusivamente sobre o calor do carvão. Especialistas dizem que é mais difícil de queimar um bife desta forma, do que sobre a grelha.

Definir o tipo de carne é importante para ficar com a crosta queimada fantástica e interior suculento. Apreciadores do método indicam o T-bone ou uma carne de corte robusto e mais saboroso.

A grande vantagem deste método – além da sua simplicidade – é que o smokiness ou defumado do carvão vegetal, para todos os alimentos que forem cozinhados, é muito melhor do que o alcançado através do preparo pela grelha tradiconal. A desvantagem é que a carne fica realmente “suja”, o que não nos incomoda nem um pouco, não é verdade?

Método de preparo:

Obter um par de bifes de 2 a 4 polegadas de espessura sem tempero (o sal e a pimenta antes ou depois é opcional)

Acender a brasa usando carvão vegetal de qualidade sem produtos químicos.

Quando os carvões estiverem vermelho-quente, espalhá-los para formar uma camada uniforme.

Acomodar os bifes diretamente sobre as brasas. Deixá-los lá por cerca de 4-6 minutos, em seguida, usando pinças de cabo longo, virá-los por mais 4-6 minutos.

Removê-los do fogo e usar um pincel para a retirada de cinzas residuais. Se você quiser, escovar um brilho luz do excelente azeite extra-virgem sobre os bifes. Se não, apenas colocar sal grosso e pimenta do reino moída para temperar.

Deixe os bifes descansar por 10 minutos.

É isso aí. Servir um para cada convidado ou cortados em fatias grossas, em seguida, degustar!

Vamos tentar?

 

Autora: Mirella Cais
Cofundadora do
Blog da Carne
Mestre em Gestão Internacional (ESPM)
Engenheira Agrônoma (UNESP)